Muitos Lugares para Aprender

O pesquisador espanhol Javier Melgarejo Draper concluiu que não só a escola e a família são responsáveis pelo aprendizado. Outra instância educativa, constituída por instituições socioculturais, como bibliotecas, parques naturais e museus, influencia profundamente o que crianças e jovens aprendem. A presença num museu, por exemplo, a forma de se comportar ali e de interagir com o acervo são um conteúdo. Se a experiência é relacionada a atividades ligadas ao cotidiano escolar, como pesquisar e discutir, o conhecimento se amplia.

As saídas a destinos variados, porém, só funcionam se relacionadas aos temas do planejamento. "A atividade rompe a concepção de que o que se aprende na escola está separado do dia a dia", afirma Monique Deheinzelin, doutora em Psicologia e Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Por isso, é importante aproveitar características locais e a curiosidade da sala. "Fatos vividos pelos alunos são capazes de mobilizá-los e podem ser utilizados como gancho para entrar em contato com o saber que já foi sistematizado por anos de pesquisa", diz Lana Cavalcanti, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Institutos culturais, ginásios esportivos, teatros e cinemas são opções de destino, mas se engana quem acha que só vale tirar a turma da classe quando a cidade possui recursos desse tipo. Ruas, o centro histórico, o arquivo público e o próprio bairro e seus moradores são ricas fontes de estudo, sem falar de espaços naturais e propriedades rurais. "O conhecimento não é exclusividade da escola.

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/formacao/la-fora-muitos-lugares-aprender-entorno-visita-passeio-790299.shtml

Instituto Esther Valério © 2014
Rua Gustavo Xavier Capanema , 90 , Centro, Pitangui - MG